quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

O que falta (ou sobra) em mim?




Não que eu tenha traçado isso como objetivo mais importante de 2009 (na verdade, é o 3º da lista... =D), mas sinto que chegou a hora de voltar a ter um namoradinho. Sim, eu engrossei o coro daquelas que, após o término de um namoro dos sérios, jurou ser o próximo namorado seu futuro marido. Agora tanto faz, só quero chamar alguém de namorado. Claro que tenho q estar apaixonada – e ele também. Mas não precisa ser a pessoa com quem passarei o resto da minha vida. Basta me proporcionar bons momentos (até para autoconhecimento).

Porém, ESTÁ DIFÍCIL.

Progê possui um irmão mais novo (fato importante para ele não se tornar um bom partido aos meus olhos – Progê, não briga comigo!) que já alertou sobre o motivo de não termos um namorado bem apessoado. Em algum post isso já foi citado, portanto não me alongarei. Fato é: percebemos que não adianta ser repleta de adjetivos, nem mesmo ser liberal e dar pro cara quando ainda nem mesmo têm um relacionamento sério.

Falta alguma coisa que ainda não descobri.

Fiquei analisando como começaram meus namoros (o que não ajudou muito, pq só tive 2 namorados) pra encontrar o momento em que o ficante foi promovido ou o motivo q o fez pedir a mocinha aqui em namoro.

No primeiro, eu era muito diferente das ex-namoradas dele, então penso que ele me identificou como um grande “achado” e resolveu amarrar logo, antes que outro aparecesse.

Com o segundo, além de já nos conhecermos há anos e ele sempre tentar ter algo comigo, nós dois estávamos solteiros há quase 3 anos, então havia uma vontade mútua GIGANTE de engatar um namoro.

Mas, e agora, José?

Ainda me acho bem diferente da maioria das ex-namoradas de meus candidatos em potencial. E também eles fizeram um intervalo prolongado entre o último namoro e o próximo.

Talvez me falte paciência e insistência. Sim, pq não me considero machista, tampouco me qualificaria como feminista. Mas penso que minha obrigação é APENAS dar um mole para que o cara entenda que eu to afim. Se ficar esperando eu chegar nele, vai dar bolor.

Nesse caso, será que me sobra inércia? Que eu me boicoto, isso já admiti, mas daí a eu ter que mudar o que acho bom em mim pra FACILITAR o trabalho do homem, aí não faço. Não mesmo.

Não acho nem certo, nem errado. Não julgo quem o faça. Apenas não combina comigo, não é de minha personalidade.

Já até fiz testes (mentais) em blogs de cunho, digamos, masculino. Eu sempre passo! Tava até pensando em criar um anúncio e mandar pra eles. Pela quantidade de leitores que comentam, acho até que eu teria um bom retorno. rs

Meu campo de pesquisa agora tem sido os inícios de relacionamentos alheios. Mas já vi de tudo: de mocinha casta e pura a piriguete que deixou um cara super fofo caidaço por ela. Não consegui chegar a nenhuma resposta. E nem adianta vc pensar agora: po, é que cada um é de um jeito, pra todo pé descalço tem um chinelo velho, e etc. Eu tô muito bem calçada e quero pelo menos um Arezzo.

A única conclusão a que cheguei até agora foi que me sobra analisar e me falta solução.

Se vc tiver uma sugestão, eu tô dentro.

Estrô

Um comentário:

Progê disse...

Ando pensando seriamente sobre isso (e tendendo a concordar com vc).

Engraçado como a gente muda de fases, né?

Do pânico do namoro, pra querer SÓ o amor da vida e agora se contentando com uma boa companhia...

Moral da história? Deixar rolar, né??
Afinal, tudo sempre começa com uma boa companhia... ng vira amor da nossa vida assim, do nada (pelo menos não deveria, eu acho) rs
Vamos com calma, sem muitas pretensões, acho q a gente ganha mais.

Beijosss